João Ferreira

artamega-fotos-eoe_joao-ferreira-atc

João Ferreira

ATC

Iniciou os estudos musicais no Curso de Piano do Conservatório Regional de Castelo Branco. Licenciou-se em Formação Musical na ESART (Castelo Branco) e em Composição Musical na ESMAE (Porto), tendo concluído também o Mestrado em Composição e Teoria Musical com Dimitris Andrikopoulos e Eugénio Amorim, onde desenvolveu um trabalho composicional na área do trabalho colaborativo entre a música e as outras artes. Tem ainda um Mestrado em Ensino de Música pela Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa (Porto), onde foi bolseiro por mérito. Frequentou Master Classes com Jonathan Harvey, Kaija Saariaho, Marko Cicilliani, Pascal Dusapin, entre outros. 

Participou no 16º Workshop Anual de Percussão – Simpósio Trstěnice (Cursos Internacionais para Compositores e Percussionistas) em 2012, na República Checa sob orientação de Jeff Beer, Tomáš Ondrůšek e Ivo Medek tendo estreado a obra Txcta, para multipercussão. No mesmo ano foi admitido no Projeto ENOA (Rede Europeia de Academias de Ópera) da Fundação Calouste Gulbenkian (Lisboa), sob orientação de Luca Francesconi, onde estreou a obra Wolf_Gang, para soprano, barítono e orquestra. Gravou duas obras com o clarinetista Frederic Cardoso, em 2015 a obra False Entropy, para clarinete baixo e tape, para o CD Press the Keys e, em 2020, Stereochromatic, para clarinete e tape, para o CD Diálogo a Preto e Branco. 

A sua obra Dominó, para orquestra, foi estreada pela Orquestra Sinfónica da ESMAE e teve uma leitura pela Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música (2011). Unwanted, para voz e ensemble foi estreada pelo Grupo de Música Contemporânea de Lisboa (2012), e Hunga Mate, para ensemble, didgeridoo, quatro vozes, tape e eletrónica em tempo real, foi estreada pelo Ensemble I&D no Teatro Helena Sá e Costa (Porto). Em 2018 estreou na Associação Infantário e Jardim de Infância Carolina Michaëlis (Porto) a Material Orchestra, instalação sonora infantil, baseada em eletrónica em tempo real e sensores e, em 2020, estreou Stereochromatic, para clarinete e tape, na Casa da Música (Porto).

Tem lecionado as  disciplinas de Análise e Técnicas de Composição e Formação Musical em diversos Conservatórios e Academias de Música em Portugal, onde procura desenvolver projetos diversificados com os alunos no âmbito da criação e da exploração musical, que sirvam de estímulo para a descoberta da análise e da composição musical.